Estudo veiculado no site Terra:

Estudo: 41% das pessoas que roncam discutem com os parceiros na cama

Cerca de um quarto das mulheres e 40% dos homens são roncadores frequentes

Ir para a cama deveria ser um momento feliz da vida de um casal, mas o local virou um campo de batalha por um motivo muito comum: o ronco. Um novo estudo descobriu que 41% das pessoas que provocam o ruído durante a noite se envolvem em discussões – e em alguns casos até disputas - regulares com seus parceiros. As informações são do Daily Mail.

Após acordar com o barulho, é comum que as pessoas tentem mudar a posição do parceiro na cama, dar empurrões e beliscar a costela. Quando não dá certo, 28% decide, com frequência, ir dormir em outro quarto.

A pesquisa , que foi conduzida pela marca Nytol e envolveu 1.134 pessoas que roncam, mostrou ainda que 27% acordam irritados com o parceiro, 21% se sente cansado por dormir ao lado de alguém que ronca, e 16% se diz menos produtivo durante o dia por conta do barulho noturno.

Cerca de um quarto das mulheres e 40% dos homens são roncadores frequentes, embora quase metade das pessoas ronquem ocasionalmente. Mais da metade dos entrevistados disse que nunca tinham feito nada para resolver o problema.

Uma pesquisa publicada em janeiro sugeriu que o ronco pode ser um sinal de alerta para problemas de saúde com risco de vida.

 

 

 

 

 

 

Como saber o número de horas ideal para dormir? O que acontece se eu dormir menos que o ideal?

A quantidade de horas ideal para o sono varia de pessoa para pessoa, mas a média para um adulto é de sete a oito horas. Os prejuízos de um sono inadequado são bastante evidentes. Pessoas que não dormem bem apresentam mal-estar e perda de raciocínio. O aprendizado também é prejudicado, a concentração é afetada e o organismo não se recupera de forma adequada para enfrentar um novo dia, causando sonolência, fraqueza, irritação, etc. O sono apresenta vários estágios, e a passagem por essas fases é fundamental para sua eficiência. Por isso não se preocupe apenas com a quantidade de horas de sono, mas com a qualidade também.

 

 

 

 

 

Sono de qualidade auxilia na recuperação muscular

Uma boa noite de sono é muito importante para o bom desempenho de um atleta. A American College of Sports Medicine classificou a melhora da qualidade do sono como um dos benefícios trazidos pela atividade física. Já a American Sleep Disorders Association afirma que o exercício funciona como uma “intervenção não farmacológica para a melhora do padrão do sono”. Ou seja, correr faz com que você tenha uma melhor noite de sono.

A recuperação muscular é o melhor benefício do sono para o corpo. Durante o sono, o corpo promove o ganho de condicionamento físico, o que nos deixa mais fortes. Se o atleta não descansa o suficiente, acontece uma queda de performance ou o famoso overtrainning (supertreinamento)

 

 

 

 

 

Durma bem e conquiste uma pele de pêssego

 

Durante o sono de qualidade ocorre uma regeneração das células, que permite a manutenção do tônus muscular, contribuindo para o alisamento da sua pele.

 

 

 

 

 

 

 

Conheça a solução acessível e eficaz para ronco e apneia do sono e conquiste um sono de qualidade

Muito sono ou a ausência dele são problemas sérios nos dias de hoje. Neste dia 16 de março, acontece um evento ao redor do mundo chamado de Dia Mundial do Sono. A mobilização tem o objetivo de conscientizar a população sobre questões relacionadas com o sono não reparador, incluindo a sonolência excessiva durante o dia (SED), a fadiga crônica, indisposição e problemas cognitivos que prejudicam o desempenho no dia a dia, nos estudos e aumenta os riscos de acidentes de trânsito e de trabalho.

De acordo com Sheila Diniz, cirurgiã dentista e especialista em distúrbios do sono, o foco principal deste dia é o combate a Apneia Obstrutiva do Sono. Segundo recente levantamento epidemiológico realizado no Brasil, a doença atinge cerca de 33% da população. Entre as consequências da apneia do sono não tratada estão a obesidade e os problemas cardiocirculatórios.

Ainda segundo a especialista, a incidência do ronco aumenta com a idade, sendo mais frequente entre os homens. Sua prevalência na população geral varia de 20 a 60%. Atualmente, com o diagnóstico preciso a partir de avaliação através do exame de polissonografia, há diversas formas de tratamento que podem ajudar a controlar a apneia do sono, melhorar a qualidade do sono e da saúde em geral.

O Dia Mundial do Sono é uma iniciativa da World Association of Sleep Medicine (WASM) que busca diminuir a incidência de problemas de sono em geral na sociedade através da prevenção, orientação e tratamento adequado para as mais diversas desordens de sono como o ronco, a apneia do sono, insônia, bruxismo entre outros distúrbios.

Tratamentos

Existem soluções para o roncador e o cirurgião dentista tornou-se uma peça chave nestes casos, pois pode tratar problemas como esse com o uso de Aparelhos Intraorais, sem a necessidade de intervenções cirúrgicas.

De acordo com a cirurgiã dentista Sheila Diniz, os aparelhos são hoje os principais recursos no tratamento do ronco e da apneia, uma vez que oferecem solução rápida e eficaz contra este problema de saúde pública.

Em 1982 foi elaborado o primeiro aparelho para ronco e apneia. A partir daí é que estudos tomaram maior ênfase no tratamento da apneia com aparelhos intraorais. A tendência é a pessoa procurar cada vez mais esse tipo de tratamento, em vez de cirúrgico. "Há 6 anos tenho atendido pacientes, que acompanho através de exames (polissonografia) com altos índices de sucesso", afirma Sheila.

Depois de detalhada consulta e exame clínico, Sheila seleciona o melhor modelo de aparelho, confeccionado de acordo com o paciente. O modelo é instalado e ajustado na boca do paciente, que recebe instrucões de uso (só para dormir), tendo acompanhamento periódico para checar a eficiência, inclusive através de outra polissonografia.

 

 

 

 

 

Apneia do sono está ligada a várias doenças do coração

 

A apneia do sono é um distúrbio do sono que está cada vez mais em pauta. Mesmo assim, ainda existem muitas dúvidas relacionadas a ela. Esse distúrbio obstrutivo das vias aéreas superioras acomete as pessoas enquanto dormem: a musculatura de parte desta região relaxa e dificulta a passagem do ar até os pulmões na inspiração, bem como a saída do ar. A representação disso nós conhecemos bem: o ronco!

Pessoas com apneia do sono frequentemente se queixam de sono não reparador (sensação de noite mal dormida), dificuldade de concentração, e essa situação de estresse crônico pode se manifestar no corpo causando doenças graves, inclusive aquelas que atingem o sistema cardiovascular.

O estresse crônico causado pela apneia pode se manifestar no corpo causando doenças graves, inclusive aquelas que atingem o sistema cardiovascular. Um bom exemplo é a hipertensão arterial, que pode ser causada e piorada pelo desenvolvimento de apneia do sono. Outro problema que está ligado a apneia do sono é a morte súbita cardíaca e não cardíaca. Já foi provado que a as chances de morte súbita são maiores em pacientes com apneia não tratada que em pacientes sem apneia ou em tratamento.

Conheça um tratamento rápido, eficaz e acessível para a solução desse problema.

 

Existe um jeito bem mais fácil de acabar com o ronco!

Estrelas de Hollywood investem em quartos insonorizados para poderem roncar em paz

Celebridades como Tom Cruise já estariam investindo em quartos insonorizados, onde podem roncar em paz, sem perturbar seus cônjuges. Cruise, 49, teria convertido um quarto de hóspedes como um refúgio em sua casa em Beverly Hills.

Pouco depois de o ator se casar com Katie Holmes, foi relatado que às vezes eles dormiam em quartos diferentes por causa do seu ronco.Um visitante da casa de Tom Cruise disse ao jornal: "Quem usa a sala de ronco não pode ser ouvido fora da porta trancada É muito pequena, confortável e escura".

Pierre Stooss, um agente de propriedades de Hollywood, disse que os "snoratoria"(nome dos quartos) foram crescendo em popularidade. "Às vezes ele começa apenas como uma medida temporária, mas depois se espalha e agora todo mundo com o espaço quer um", disse ele.

"A chave é torná-lo tão silencioso quanto possível, dentro e fora. Alguns quartos têm tanques de peixes para cobrir o barulho e acalmar o roncador".

Cruise não é o único a investir na idéia, outros famosos como Sir Winston Churchill, Liz Taylor e David Arquette, cuja ex-esposa Courteney Cox disse que "sacudia as paredes" com seu sono, também aderiram ao processo.

 

 

 

 

 

43% dos brasileiros sofrem com insônia

Insônia, agitação e ronco durante a noite e sonolência, dificuldade de concentração e irritabilidade durante o dia. Você se encaixa nesse quadro? Saiba que o problema tem cura, independente de sua origem. Visite www.sheiladiniz.com.br e conheça o tratamento rápido e eficaz para distúrbios do sono, como ronco e apneia.

 

 

 

 

 

Bebidas alcoólicas: menos repouso, mais ronco

 

Além de prejudicar os ciclos de sono, o álcool faz com que a pessoa (principalmente o homem) ronque. Isso porque o álcool reduz o tempo passado no sono REM, fazendo com que a pessoa tenha um sono menos repousante. Em grande quantidade, a bebida alcoólica suprime a respiração causando o ronco e, em muitos casos, a apneia do sono.

 

 

 

 

 

 

 

Matéria publicada no site Terra. Vejam mais um motivo para ter um sono de qualidade.

 

Uma semana de pouco sono pode prejudicar genes, diz estudo

Na semana de privação de sono, alguns genes se tornaram lentos e, outros, muito ativos

Se você dorme mal, tem mais um motivo para procurar uma maneira de reverter a situação. De acordo com uma pesquisa da Universidade de Surrey, na Inglaterra, apenas uma semana de pouco sono pode afetar mais de 700 genes, aumentando o risco de doenças ligadas à imunidade, ao estresse e à inflamação. Os dados são do jornal Daily Mail.

Os cientistas da Universidade de Surrey, na Inglaterra, analisaram o RNA (mensageiro químico dos genes para as células) de 26 voluntários que não podiam dormir mais de seis horas por noite ao longo de uma semana. No fim desse período, todos tiveram de permanecer acordados por cerca de 40 horas, enquanto amostras de RNA eram coletadas. Os resultados foram comparados ao efeito sobre os mesmos voluntários que dormiram até 10 horas por noite durante sete dias.

Na semana de privação de sono, alguns genes se tornaram lentos e, outros, muito ativos. Os genes afetados estão associados com o relógio biológico, metabolismo, imunidade e respostas ao estresse.

 

 

 

 

 

 

Yes, nós adoramos dormir de conchinha!

 

Estudiosos do comportamento humano afirmam: dormir acompanhado melhora a saúde, diminui o stress, além de reforçar os laços entre o casal e deixar sempre acesa a chama da paixão. Está esperando o quê? Trate de forma rápida, acessível e eficaz os distúrbios de sono, como ronco e apneia e aproveite as noites ao lado do seu amor!

Estudo revela que 69% dos brasileiros têm dificuldades para dormir

Um estudo realizado pelo Instituto de Pesquisa e Orientação da Mente (IPOM) descobriu que 69% dos brasileiros avaliam seu próprio sono como ruim e insatisfatório.

Para chegar aos resultados, a pesquisa consultou cerca de dois mil brasileiros com idades entre 20 e 60 anos. Desse percentual de pessoas que não dormem bem, 82% afirmam sentir cansaço, sonolência e queda de rendimento em suas atividades durante o dia posterior à noite mal dormida. Outros 25% confirmam que têm dificuldade em pegar no sono, enquanto 18% dizem não conseguir mantê-lo durante toda a noite - despertam e não voltam a dormir. Já 36% declaram que acordam e voltam a dormir várias vezes.

 

 

 

 

 

Durma bem e emagreça!

Uma boa noite de sono garante mais do que qualidade de vida. Ter um sono reparador é tão importante quanto ter uma alimentação balanceada ou praticar atividade física. Estudos comprovam que dormir bem auxilia no emagrecimento porque o sono produz um neuromodulador chamado leptina, que controla a saciedade. Ou seja, quem dorme mal tem baixa produção de leptina e, automaticamente, mais fome e menos saciedade.

Trate distúrbios do sono, como ronco, apneia e bruxismo e ganhe qualidade de vida, além de ficar em dia com a balança!

 

 

 

 

 

 

Durma bem!

 

Todos sabem dos inúmeros benefícios de uma boa noite de sono. Para ajudar você a ter uma noite de sono reparador e acordar bem disposto no dia seguinte, enumeramos algumas dicas. Comprove!

- Troque o travesseiro no mínimo a cada dois anos,

- Escolha o colchão ideal: nem muito macio, nem muito firme. O colchão deve adequar-se confortavelmente ao seu corpo,

- Tente não levar para o quarto as ansiedades do dia a dia. Um banho morno pode ajudar a relaxar,

- Desligue a TV e fique longe do computador, pois a luz desses aparelhos atrasa a produção das substâncias responsáveis pelo aviso de que é hora de dormir,

- Chá de melissa e camomila também ajudam no relaxamento,

- À noite faça somente refeições leves,

- Evite ingerir bebidas alcoólicas, pois elas contribuem para um sono fracionado.

 

 

 

 

 

 

Impotência masculina? A causa pode estar relacionada à apneia do sono

 

Caracterizada por um ronco forte e irregular, a apneia é marcada por diversas paradas respiratórias de pelo menos dez segundos durante o sono. Com a interrupção da respiração, ocorre um microdespertar. A pessoa passa de um estágio mais profundo do sono para um mais leve e também menos revigorante. É como se a pessoa, em vez de dormir, apenas cochilasse.

Após estudar 870 homens portadores de apneia do sono obstrutiva, pesquisadores do Mount Sinai Medical Center, nos Estados Unidos, os testaram para disfunção erétil e descobriram que os portadores do distúrbio do sono são duas vezes mais propensos a ter problemas de ereção do que aqueles que não sofrem deste mal, comparando o resultado com informações como idade, obesidade, diabetes e fumantes.

A relação entre apneia do sono e disfunção erétil é evidente, por ser um fenômeno hemodinâmico, ligado à circulação do sangue nos vasos, a ereção depende da integridade dos tecidos, bem como de fatores psicológicos. Qualquer variação nesses componentes, alterados ainda mais pela apneia do sono, pode levar à disfunção erétil.

O principal hormônio masculino, a testosterona está diretamente ligada à libido e à vitalidade do homem. Quando há queda na produção dela, a pessoa passa a ter menos desejo sexual. Já o óxido nítrico é um neurotransmissor responsável pela ereção. Ele mantém a irrigação dos corpos cavernosos (anatomia interna do pênis).

O hormônio do crescimento não tem uma ligação tão forte com o desempenho sexual, mas há uma relação indireta. Quando o homem sofre uma redução na produção deste hormônio, ele se torna mais cansado e mais vulnerável a doenças. Isso pode interferir em sua vida sexual e até mesmo em sua aparência.

Além disso, há estudos que ligam a impotência sexual à redução dos níveis de hormônio masculino provocada pela apneia do sono. A redução no nível de testosterona pode ser causada pela idade, excesso de peso, além de outros fatores, como a hipoxia [diminuição das taxas de oxigênio no sangue arterial ou nos tecidos] e a fragmentação do sono.

As interrupções que fragmenta o sono deixa-o mais superficial, impedindo o homem de atingir os estágios mais profundos do descanso, os quais são necessários para a produção de testosterona, hormônio do crescimento e óxido nítrico.

Mas, além de tudo isso, tem a falta de disposição mesmo. "O homem com apneia está sempre mais cansado. À noite, antes da mulher apagar a luz, ele já está dormindo. Tal fadiga também se evidencia como um fator", afirma a cirurgia dentista especialista em distúrbios do sono, Sheila Diniz.

 

 

 

 

 

 

Você dorme mal?

 

Dormir é, primeiramente, uma necessidade de descanso mental e físico, mas o ato vai muito além. Vários processos metabólicos ocorrem durante o sono. Estudos comprovam que quem dorme menos do que o necessário ou tem um sono de má qualidade tem menor vigor físico, envelhece mais precocemente, está mais propenso a infecções, a hipertensão, obesidade, stress e várias outras doenças.

Qualidade de vida começa com sono reparador.

 

 

 

 

 

 

Mulher também ronca?

 

Mulheres sentem vergonha do ronco, mas devem saber que isso é um sinal de alerta

 

Cerca de 30% da população brasileira ronca. Embora o problema seja mais comum entre os homens, ele também vitima as mulheres, ainda que em menor número: para cada três homens, uma mulher ronca, porém a relação se iguala após a menopausa.

O barulho não parece um som feminino, motivo principal pelo qual a mulher não admite o problema, mas o sinal noturno deve ser motivo de preocupação.

 

 

 

 

 

Menopausa

 

Após a menopausa, as mulheres têm mais chances de sofrer de insônia ou de roncar, segundo um estudo do Instituto do Sono de São Paulo que avaliou 931 mulheres de 50 a 65 anos. Após passarem por uma polissonografia, para as que estavam na pré-menopausa, a proporção de queixas de ronco e de apneia foi de 68,8% e 28,9%. Já nas mulheres na pós-menopausa, 81,9% diziam roncar e 37,4%, ter apneia.

Conheça um tratamento eficaz para esse problema.

 

 

 

 

 

 

VOCÊ RONCA? CONHEÇA O TRATAMENTO SIMPLES E EFICAZ PARA ESSE MAl

Existem soluções para o ronco e a apneia do sono e o cirurgião dentista tornou-se uma peça chave nestes casos, pois pode tratar esses problemas com o uso de aparelhos intraorais, sem a necessidade de intervenções cirúrgicas.

Depois de detalhada consulta e exame clínico, o dentista seleciona o melhor modelo de aparelho, confeccionado individualmente para cada caso. Após a confecção, o aparelho é ajustado na boca do paciente.

Moldado e instalado nos dentes superiores e inferiores, o aparelho projeta a mandíbula para frente, eliminando os ruídos. O paciente deve ter acompanhamento periódico para checar a eficiência do tratamento, realizando uma outra polissonografia.

De acordo com a cirurgiã dentista Sheila Diniz, especialista em distúrbios do sono, os aparelhos são hoje os principais recursos no tratamento do ronco e da apneia, uma vez que oferecem solução rápida e eficaz contra este problema de saúde pública.

 

 

 

 

 

 

 

CUIDAR DA SAÚDE: UMA RESOLUÇÃO IMPORTANTE PARA 2013

 

Ano começando: é hora de colocarmos em prática nossas resoluções. Prometemos a nós mesmos ganhar mais dinheiro, parar de fumar, emagrecer, fazer um novo curso, mudar de emprego, voltar para a academia e muitos outros desejos. Para realizar todas essas metas é preciso cuidar muito bem da saúde e esse cuidado deve começar com um sono de qualidade. Você dorme bem? Sente-se disposto ao acordar? Se a resposta a uma dessas perguntas for negativa, é hora de procurar tratamento profissional.

Um sono restaurador tem poder revigorante na vida de um indivíduo, mas os benefícios de uma noite bem dormida vão muito além de bem-estar e disposição. Segundo um estudo realizado na Universidade de Chicago, pessoas que dormem de seis a oito horas por dia queimam mais gorduras do que as que têm sono fragmentado. O estudo conclui ainda que dormir mal reduz em 55% a perda de gordura.

De acordo com a cirurgiã dentista Dra. Sheila Diniz, pós-graduada em Medicina do Sono por distúrbios do sono pela USP-SP e UNIFESP e uma das pioneiras da região no tratamento de ronco e apneia, o sono superficial e agitado pode acarretar várias doenças como arritmia cardíaca, anginas, infartos e acidente vascular cerebral (AVC). “Recentes pesquisas comprovam que pessoas que não têm um sono de qualidade apresentam irritabilidade e cansaço durante o dia, depressão, redução na capacidade intelectual, dificuldade de concentração, propensão à obesidade, perda de memória recente e diminuição da libido. Uma das consequências do problema é a ingestão exagerada de calorias durante o dia, pois o corpo não se sente satisfeito. A situação é ainda mais alarmante se o indivíduo roncar e apresentar apneia do sono”, ressalta a especialista.

Para solucionar esses distúrbios que comprometem a qualidade do sono sem a necessidade de intervenção cirúrgica, a dentista recorre ao aparelho intraoral, confeccionado e moldado de acordo com cada paciente. “Após detalhada consulta e exame clínico como a polissonografia, que releva o grau de apneia, indico o aparelho de uso individual e oriento que ele dever ser utilizado somente na hora de dormir. É importante salientar que o paciente não sofrerá nenhum desconforto, pois o aparelho é de fácil adaptação. Há 6 anos tenho atendido centenas de pacientes com altos índices de sucesso", afirma Dra. Sheila.

 

 

 

 

 

 

Você sabia? - Apneia do sono atrapalha vida sexual da mulher

 

Durante o sono, mulheres que sofrem de interrupção da respiração pela boca ou nariz durante alguns segundos, têm chances de prevalência de disfunções sexuais, segundo estudo recentemente publicado na revista científica Sleep and Breathing.

Na mulher, esse tipo de interrupção durante a noite de sono pode atrapalhar os desejos sexuais, alterando psicologicamente e fisiologicamente as respostas do corpo. "Disfunções sexuais em pacientes do sexo masculino com apneia obstrutiva do sono são bem descritas, mas não em pacientes do sexo feminino", disse um dos autores do estudo realizado com 21 mulheres que sofriam da apneia do sono e 11 mulheres saudáveis na menopausa.

Independente de outros fatores como obesidade, distúrbios de humor, 52% das mulheres que sofriam da apneia tiveram pontuação ruim quanto a sua função sexual."Estima-se que a prevalência de disfunção sexual é alta entre mulheres com apneia obstrutiva do sono. A maioria das pessoas com apneia não sabe que tem a doença. Que ela pode causar disfunção erétil, então, menos ainda", afirma Sheila Diniz, cirurgiã dentista especialista em Odontologia do Sono.

Caracterizada por um ronco forte e irregular, a apneia é marcada por diversas paradas respiratórias de pelo menos dez segundos durante o sono. Em uma noite, podem ocorrer dezenas delas. Com a interrupção da respiração, ocorre um microdespertar. A pessoa passa de um estágio mais profundo do sono para um mais leve e também menos revigorante. A combinação de paradas respiratórias e sono menos relaxante é catastrófica para o organismo. Além de ficar naturalmente mais cansado e sem disposição, quem tem o distúrbio acaba com mais chances de desenvolver doenças cardiovasculares e outros males. A impotência é apenas mais um item nesse pacote.

Vale ressaltar também que a identificação da apneia nas mulheres é um pouco mais difícil, uma vez que no sexo feminino, em vez de sonolência, um dos sintomas comuns de apneia é a depressão, o que dificulta ainda mais o diagnóstico. Além disso, as mulheres escutam o ronco dos maridos e avisam que eles estão com problema, mas o inverso nem sempre acontece e a queixa passa sem ser percebida.

 

 

 

 

 

 

De onde surge o ronco?

 

Uma das mais polêmicas questões relacionadas ao sono é o ato de roncar, afinal quem não conhece alguém que ronque e também alguém que reclame desse distúrbio que, segundo pesquisas, abrange mais de 30% da população adulta?

O ronco é proveniente do relaxamento muscular que sofremos em nosso corpo quando repousamos. A passagem de ar fica menor, fazendo com que o ar emitido pelo nosso sistema respiratório se comprima gerando uma vibração na laringe, originando então o ruído.

 

 

 

 

 

 

 

Você ronca enquanto dorme?

Saiba que quem sofre do problema não consegue ter sono profundo e reparador. Invista em qualidade de vida, procure um cirurgião dentista especialista em distúrbios do sono e veja como é fácil e rápido conquistar mais qualidade de vida.

 

 

 

 

 

 

DORMIR POUCO ENGORDA

Um sono de qualidade é fundamental para manter bem longe os quilinhos indesejáveis

Um estudo recente identificou que existe uma relação direta entre a falta de sono e o ganho de peso. Através dele, foi registrado que pessoas que dormem menos do que sete horas por noite, possuem tendência de acumular gordura. Existem outros fatores relacionados a esse ganho de peso, como por exemplo, a falta de exercícios físicos diários e a alimentação desequilibrada.

Para conquistar um sono restaurador é necessário livrar-se de distúrbios do sono, como ronco, apneia e bruxismo. Consulte o seu cirurgião dentista especialista e durma bem!

 

 

 

 

 

 

Doença do sono aumenta os riscos de hipertensão

Estudo publicado na revista Hypertension, da American Heart Association, mostra que pessoas com apneia têm alterações na função dos vasos sanguíneos da mesma forma que pessoas com pressão alta. Estima-se que cerca de 40% dos indivíduos com hipertensão arterial apresentam a síndrome da apneia obstrutiva do sono

Sabe aquele ronco que segue um mesmo ritmo, vai ficando mais alto, e de uma hora para outra é interrompido por um período de silêncio, quando a pessoa fica totalmente sem respiração, voltando logo depois ao ritmo inicial? Pois este processo é chamado de apneia obstrutiva do sono, doença que atinge aproximadamente sete em cada 100 indivíduos, cuja prevalência é maior no sexo masculino. Pela primeira vez, estudo britânico da Universidade de Birmingham, publicado no periódico Hypertension, mostra que as pessoas com apneia têm alterações na função dos vasos sanguíneos igualmente aqueles que têm pressão alta, mesmo em pessoas saudáveis.

Estes dados preocupam, pois estudos recentes mostram que aproximadamente 24% dos homens de meia-idade e 9% das mulheres são afetados pela apneia, sendo 16% para as formas leves a moderadas da doença e 7,5% para as graves.

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Hipertensão, é comum que hipertensos tenham problema de apneia e vice-versa. Cerca de 40% dos indivíduos com hipertensão possuem a doença. Isto acontece porque a faringe, ao relaxar durante o sono, torna estreita a passagem de ar, provocando as vibrações típicas do ronco, até se fechar completamente e interromper o fluxo respiratório temporariamente. Numa reação de defesa, o organismo libera adrenalina, que contrai os vasos, restringindo assim o espaço por onde o sangue circula. Como o volume sanguíneo precisa correr por vias contraídas, há o aumento da pressão.

No início, esse aumento ocorre apenas durante o sono, mas com o tempo pode passar a ser uma rotina. Por isso, a medição da pressão arterial é ainda mais importante nas pessoas com apneia. E aqui começa mais um problema. O indivíduo que ronca e interrompe a respiração, muitas vezes nem percebe o sufoco pelo qual passa enquanto dorme, pois com a apneia ele não respira da maneira correta e o corpo acaba não conseguindo descansar como deveria.

É importante que o paciente com apnéia não neglicencie o problema, pois podem com o passar do tempo ter o mesmo endurecimento das artérias como os hipertensos, aumentando o risco de doenças cardíacas.

 

 

 

 

 

 

Sinais e sintomas do ronco e apneia do sono

Tão frequente como os crescentes números da população adulta acometida por um desses problemas que, em estimativas mais recentes, dão conta de que pelo menos 32% da população desenvolve uma das patologias (com maior incidência entre os homens), são os sintomas percebidos diariamente pelos portadores da apneia ou do ronco.

Na maioria das vezes, estas pessoas não se dão conta de que têm estes problemas, contudo, apresentam queixas como sono agitado, cefaléia matinal, aumento do volume de diurese noturna, impotência sexual ou diminuição da libido (20% dos pacientes com impotência que também apresentavam apneia e trataram resolveram o problema de impotência), irritabilidade, depressão, redução da capacidade intelectual, dificuldade de concentração, obesidade e perda de memória recente.

 

 

 

 

 

 

Tratamentos

Existem soluções para o roncador e o cirurgião dentista tornou-se uma peça chave nestes casos, pois pode tratar problemas como esse com o uso de Aparelhos Intraorais, sem a necessidade de intervenções cirúrgicas.

Depois de detalhada consulta e exame clínico, o dentista seleciona o melhor modelo de aparelho, confeccionado individualmente para cada caso. Após a confecção, o aparelho é ajustado na boca do paciente.

Moldado e instalado nos dentes superiores e inferiores, o aparelho projeta a mandíbula para frente, eliminando os ruídos. O paciente deve ter acompanhamento periódico para checar a eficiência do tratamento, realizando uma outra polissonografia.

De acordo com a cirurgiã dentista Sheila Diniz Salles, especialista em distúrbios do sono, os aparelhos são hoje os principais recursos no tratamento do ronco e da apneia, uma vez que oferecem solução rápida e eficaz contra este problema de saúde pública.

 

 

 

 

 

 

Tratamento do Sono

Durante o sono é muito difícil perceber que processos patológicos estão acontecendo com o nosso corpo. Afinal como não estamos conscientes, não percebemos e não acreditamos que estamos doentes. Principalmente nos casos de apneia obstrutiva do sono, que faz com que tenhamos paradas respiratórias durante o sono, que começa com o ronco que só silencia por que paramos de respirar.

Por isso, essa patologia, com seus sintomas semelhantes a outras, é geralmente confundida e inadequadamente tratada. Evolui potencializando os sintomas de várias doenças sistêmicas, reduzindo assim, a qualidade e expectativa de vida de seu portador.

Sabemos também que a falta de informação ou constrangimento sobre o assunto colabora para que o paciente não procure o tratamento adequado, ou não dê a importância necessária ao problema.

Assim, para tratar o processo patológico da apneia obstrutiva do sono, evidenciamos o reposicionamento mandibular temporário (noturno) por um dispositivo intrabucal.

O tratamento se dá com o encaixe do aparelho intra-oral sobre os dentes, levando a mandíbula pra frente, aumentando a tonicidade dos músculos ligados à garganta e língua, abrindo, desta forma, a passagem de ar. Indicamos o aparelho intra-oral para todos os graus de apneia, em casos de apneia grave, principalmente quando não há possibilidades ou disposição para o uso de CPAP.

O tratamento é de vital importância. Afinal o ronco é um dos principais sinais da Síndrome da Apneia. Com isso, o indivíduo apresenta hipersonolência diurna, deterioração da capacidade intelectual (memória fraca, dificuldade de concentração), podendo gerar também hipertensão arterial e alterações da frequência cardíaca, acidente vascular cerebral (derrame), além de depressão, ganho de peso e impotência sexual.

Resumindo: o indivíduo acorda cansado e indisposto para enfrentar o dia.

 

 

 

 

 

 

Ronco - Motivo de preocupação

 

Sheila Salles explica vantagens de aparelho intra-oral

Mais que motivo de piada e gerador de inúmeros problemas familiares, o roncador possui um sério problema de saúde. Trata-se da Síndrome de Apneia/Hipopneia Obstrutiva do Sono. Cirurgiã-dentista com especialidade em distúrbio do sono, com participação como palestrante em Congressos Internacionais e Mundias sobre Medicina do Sono, a catanduvense Sheila Diniz Salles explica os tipos e as vantegens obtidas com o tratamento.

MM - Quais os tratamentos existentes para o ronco e apneia?

Sheila Salles - Em primeiro lugar aconselhamos a perda de peso, quando paciente é obeso. Existem também as máscaras que injetam oxigênio através de tubos nas vias respiratórias quando o paciente dorme (CPAP), cirurgias quando bem indicadas e os aparelhos intra-orais (dentário) que reposicionam a mandíbula para frente abrindo assim as vias respiratórias também usadas durante o sono. Esses aparelhos tem sido de grande aceitação devido a facilidade de adaptação e preços acessíveis.

MM - Qualquer pessoa pode usar o aparelho intra-oral ou possuem contra-indicações?

Sheila - Não há contra indicação para o aparelho intra-oral desde que feito por profissionais especializados e que tenham conhecimento específico em ATM (articulação tempo-mandibular)

MM - Como funciona o aparelho oral?

Sheila - O aparelho intra-oral é encaixado sobre os dentes e leva a mandíbula pra frente, aumentando a tonicidade dos músculos ligados à garganta e língua, abrindo, desta forma, a passagem de ar. Indicamos o ARML (aparelho reposicionador mandibula-lingual) para todos os graus de apneia, em casos de apneia grave, principalmente quando não há possibilidades ou disposição para o uso de CPAP.

MM - Quais os riscos de não tratar a apneia?

Sheila - O ronco é um dos principais sinais da Síndrome da Apneia. Com isso, o indivíduo apresenta hipersonolência, deterioração da capacidade intelectual (memória fraca, dificuldade de concentração), podendo gerar também hipertensão arterial e alterações da frequancia cardíaca, além de depressão, ganho de peso e impotência sexual. Resumindo: o indivíduo acorda cansado e indisposto para enfrentar o dia. Cuidar do hálito também é cuidar da saúde.

 

Autora: Dra. Sheila Diniz Salles

Publicação: Revista Mídia Magazine

 

 

 

 

 

 

A síndrome da apneia obstrutiva do sono, o ronco e seu tratamento com o aparelho Apnout

 

Dormimos um terço do tempo de nossas vidas, e durante o sono é muito difícil perceber que processos patológicos que näo causem desconforto suficiente para nos manter acordados, estäo acontecendo com o nosso corpo.

 

Como näo estamos conscientes, näo percebemos e näo acreditamos que estamos doentes, principalmente nos casos de apneia obstrutiva do sono, onde, quando chegamos a acordar, o ruído do ronco, que é seu principal sintoma, parou muitos segundos antes.

 

Esta patologia, com seus sintomas semelhantes a outras, é geralmente confudida e inadequadamente tratada. Evolui potencializando os sintomas de várias doenças sistêmicas, reduzindo assim, a qualidade e espectativa de vida de seu portador.

 

Sabemos também, que a falta de informaçäo sobre o assunto colabora para que o paciente näo procure o tratamento adequado, ou näo dê a importância necessária ao problema. Portanto, objetivamos com este trabalho, esclarecer sobre o processo patológico da apneia obstrutiva do sono, seus sintomas e implicaçöes na saúde, como também os aspectos sociais e econômicos, abordando os possíveis tratamentos e evidenciando o reposicionamento mandibular temporário (noturno) por um dispositivo intrabucal (APNOUT), por ser este um tratamento conservador e aplicável pelo Cirurgiäo-dentista para a reduçäo deste problema (AU)

 

http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=LILACS&lang=p&nextAction=lnk&exprSearch=308322&indexSearch=ID

 

 

 

 

 

 

Ronco tem tratamento!

 

Considerado um dos maiores incômodos entre casais, o ronco é um dos sintomas da Síndrome da Apneia/ Hipopnéia Obstrutiva do Sono (SAHOS). Mas ele tem tratamento. Quem conta é a cirurgiã-dentista Sheila Diniz Salles. Ela é especialista em distúrbios do sono pela Clínica Pró-Sono da USP (Universidade de São Paulo), especialista em periodontia, reabilitação oral e implante pela USP de Bauru, e especialista em dor ortofacial e disfunção temporo-mandibular pela Escola Paulista de Medicina.

Quais os tratamentos existentes para o ronco e apneia?

Ambos podem ser tratados por meio de aparelhos intraorais, que reposicionam as estruturas das vias aéreas, onde ocorre a obstrução. Ele é usado durante o sono

Existem contra indicações?

Não, desde que o aparelho seja feito por profissionais especializados e que eles façam um diagnóstico correto, de preferência com exames específicos.

Como funciona o aparelho intraoral?

O aparelho intraoral é encaixado sobre os dentes e leva a mandíbula para a frente, aumentando a tonicidade dos músculos ligados à garganta e língua, e abrindo a passagem de ar. Nós indicamos o ARML (Aparelho Reposicionador Mandíbulo-lingual) para todos os graus de apneia e em casos de apneia grave, principalmente quando não há possibilidades ou disposição para o uso de CPAP. Porém, o paciente deve ser avisado e ser um bom colaborador no tratamento.

Como o CPAP funciona?

Ele é uma máscara acoplada a tubos que, posicionados sobre o nariz, levam oxigênio às vias respiratórias através de pressão positiva de ar. Pode ser usado em qualquer grau de apneia.

Quando as cirurgias são indicadas?

Quando a obstrução das vias aéreas se der por condições anatômicas anormais, cistos ou tumores. As cirurgias devem ser feitas pelo otorrinolaringologista

Quais os riscos de não tratar a apneia?

Ela ocorre inúmeras vezes enquanto o indivíduo dorme, levando à fragmentação do sono e diminuição da oxigenação. Ele apresenta hipersonolência diurna e deterioração da capacidade intelectual, podendo ter hipertensão arterial, AVC (Acidente Vascular Cerebral), depressão, ganho de peso e impotência sexual.

Como as crianças devem ser tratadas?

Elas devem ser tratadas por pediatras.

Só tratamos quem já completou o crescimento ósseo, a não ser que seja indicada uma ortopedia funcional dos maxilares (ortodontia).

 

 

Autora: Dra. Sheila Diniz Salles

Publicação: Revista Vivendas - Edição 02 - Julho de 2009

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pesquisa revela: homens e mulheres possuem padrão de sono distintos

Estudo realizado por pesquisadores da UNIFESP aponta diferenças entre os distúrbios de sono sofridos por homens e mulheres

As diferenças de comportamento entre homens e mulheres não se manifestam apenas quando estão acordados. Um estudo do Instituto do Sono e do Departamento de Psicobiologia da UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo) mostrou que cada sexo tem um padrão de sono distinto. A pesquisa realizada em 2006, com 1150 homens e 815 mulheres entre 18 e 80 anos, revelou, também, que eles adormecem mais rapidamente que elas, mas o sono dos homens é mais perturbado por roncos.

"As constantes apneias fazem com que os homens fiquem mais tempo nas fases iniciais do sono, que não são tão reparadoras quanto as mais avançadas", explica a fisioterapeuta Andressa da Silva, mestranda em psicobiologia e autora principal do estudo publicado no Brazilian Journal of Medical and Biological Research. Um maior índice de sonolência diurna também foi percebido entre eles, o que pode ser explicado pelo sono superficial e entremeado por apneias.

Os resultados mostram que os homens demoraram, em média, 20 minutos para dormir - cinco a mais do que as mulheres. Em compensação, os pesquisadores constataram que elas permanecem mais tempo nas fases mais profundas do sono, tendo um repouso mais reparador.

O grupo também concluiu que elas têm mais queixas de insônia que eles. As flutuações hormonais podem ser uma das causas, pois tornam as mulheres mais ansiosas. "Mas essa insônia também pode ser psicossocial, ou seja, causada pelo estresse cotidiano e pela dupla jornada de trabalho, por exemplo", afirma Silva.

As principais queixas

Os resultados foram obtidos por meio da análise de um questionário aplicado aos pacientes e de uma polissonografia - exame que utiliza sensores aplicados no corpo para registrar a atividade elétrica cerebral, a respiração, o movimento dos olhos, a atividade muscular, a oxigenação sanguínea e o batimento cardíaco, entre outros.

Segundo Silva, o estudo revelou quais são as maiores queixas: 13% das mulheres reclamavam de insônia, e 81% dos homens, de roncos exagerados. "Os resultados da pesquisa poderão dar mais parâmetros aos médicos no diagnóstico de seus pacientes com distúrbios de sono", avalia a pesquisadora.

 

 

Fonte: - http://psiquecienciaevida.uol.com.br/ESPS/

 

 

 

 

 

 

O sono estimula a criatividade, segundo estudo

A pesquisa pode ter importantes implicações para entender como o sono, especificamente o sono REM, atua na formação de redes associativas no cérebro

Agência FAPESP

Problema difícil de solucionar? Faltou criatividade? Melhor deixar para lá e ir dormir. Segundo um novo estudo, o sono estimula a criatividade e a solução de problemas. A pesquisa pode ter importantes implicações para entender como o sono, especificamente o sono REM, atua na formação de redes associativas no cérebro.

Sono REM (sigla em inglês para "movimento rápido dos olhos"), também conhecido como sono paradoxal, é a fase caracterizada pela presença de sonhos e maior atividade neuronal do que a fase não-REM.

O estudo feito por Sara Mednick, da Universidade da Califórnia em San Diego, nos Estados Unidos, e colegas mostra que a fase REM estimula diretamente o processamento criativo mais do que qualquer outra fase do sono ou mesmo durante o período em que se está acordado.

O trabalho será publicado esta semana no site e em breve na edição impressa da revista Proceedings of the National Academy of Sciences.

"Verificamos que, para questões ligadas ao que a pessoa está trabalhando no momento, a passagem do tempo é suficiente para encontrar as soluções. Entretanto, para novos problemas, apenas o sono REM é capaz de aumentar a criatividade", disse Sara.

Segundo ela, aparentemente o sono REM ajuda a chegar a soluções por meio do estímulo de redes associativas, permitindo que o cérebro estabeleça ligações novas e úteis entre ideias não relacionadas. Outro ponto importante é que essa característica não seria por conta de melhorias na memória seletiva.

Para identificar se as melhoras eram devidas ao sono ou simplesmente à redução de interferências - uma vez que experiências durante o período acordado interferem na consolidação da memória -, os pesquisadores compararam períodos de sono com períodos de descanso controlado sem qualquer estímulo verbal.

Aos participantes do estudo foram apresentados múltiplos grupos de três palavras e eles tiveram que falar uma quarta palavra que poderia ser associada com as demais. Foram feitos testes nas manhãs e no fim do dia, com os voluntários divididos entre três grupos: o primeiro que dormiu à tarde e atingiu o sono REM, outro que dormiu, mas não atingiu essa fase e um terceiro que ficou em descanso sem dormir.

Segundo o estudo, o primeiro grupo apresentou um aproveitamento 40% melhor nos testes feitos após o período de sono, enquanto os demais não mostraram resultados diferenciados.

Os pesquisadores sugerem que a formação de redes associativas a partir de informações previamente não relacionadas no cérebro, que levam à solução criativa de problemas, seria facilitada por mudanças nos sistemas neurotransmissores durante a fase de sono REM.

 

Fonte: - http://psiquecienciaevida.uol.com.br/ESPS/

 

 

 

 

 

 

 

O sono é importante? Veja algumas dicas

Dormir bem é essencial não apenas para ficar acordado no dia seguinte, mas para manter-se saudável, melhorar a qualidade de vida e aumentar a longevidade.

 

Durante o sono ocorrem processos metabólicos, que se forem alterados, podem afetar o equilíbrio de todo organismo. Quem dorme menos que o necessário tem menos vigor físico, envelhece precocemente e está mais propenso às infecções, à obesidade, à hipertensão e ao diabetes.

O fato de ficar sem dormir afeta a coordenação motora, a capacidade de raciocínio, prejudica a memória e o organismo deixa de cumprir uma série de tarefas importantissímas. A Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, realizou um estudo que avaliou um grupo de pessoas que ficaram sem dormir durante 19 horas, e em seguida foram submetidas a testes de atenção. O resultado demonstrou que essas pessoas cometeram mais erros do que indivíduos que ingeriram uma quantidade de alcool (0,8 g no sangue) que correspondente a 3 doses de uísque.

Dormir bem não é uma questão de escolha, porque durante o sono pode ocorrer alterações como o ronco, a apneia (falta de ar), bruxismo, insônia, entre outros que afetam o metabolismo e prejudica a qualidade de vida das pessoas.

Abaixo segue algumas dicas para melhorar o sono:

  Estabelecer horários regulares para deitar e levantar. Caso haja necessidade de utilizar o despertador, dê preferência para o mesmo horário sempre e vire-o de costas para não controlar o passar das horas, pois traz ansiedade e o sono foge;

  Evitar o consumo de bebidas alcoólicas;

  Evite bebidas que contenham cafeína (café, refrigerantes, chá preto, chimarrão, achocolatados) pois estimulam o sistema nervoso central;

  Evite fumar, a nicotina também tem efeito estimulante;

  Os exercícios físicos devem ser evitados próximo ao horário de dormir, porém mantidos regularmente todos os dias;

  Planejar tarefas para o dia seguinte antes de dormir traz ansiedade e preocupação. Organize tudo com calma até 3 horas antes de ir para cama;

  Faça refeições leves antes de se deitar. Dê preferência a saladas, legumes e frutas;

  Deixe o quarto bem escuro para favorecer o sono repousante. Evite lugares barulhentos e se possível regule a temperatura;

  Evite remédios para dormir sem ter prescrição médica;

  Vá para a cama com sono e saia dela se estiver sem sono;

  Evite dormir com fome ou sede;

  Use a cama apenas para dormir e fazer sexo e elimine atividades incompatíveis com o sono, por exemplo: TV, notebook, telefone, lanches.

Fonte:  - http://www.artigonal.com/saude-artigos/o-sono-e-importante-veja-algumas-dicas-764011.html

 

Artigos

MArque uma consulta

Rua Borges Lagoa, 1080 - cj 609 
Vila Clementino - São Paulo - SP

 

Av Bady Bassitt, 4202 - VIla Imperial
São José do Rio Preto – SP

 

Rua Mato Grosso, 354-1 - Higienópolis
Catanduva - São Paulo - SP

 

MARQUE UMA CONSULTA

Submitting Form...

The server encountered an error.

enviado

web.sheiladiniz@gmail.com